InVersões

Aline Figueiredo
Animadora e Crítica de Arte

InVersões, 2016.


O trabalho de Daniel Pellegrim, da série InVersões é resultado da sua investigação visual no campo da arte digital.
A arte-computador, tendência ou técnica, é construída como uma extensão da Optical Art e da Arte Cinética que vem se praticando desde a segunda metade dos anos sessenta. Em 1968 no Instituto de Arte Contemporânea de Londres realizou-se a primeira exposição de Arte-Computador. Vladimir Bonacic (1938-1999), Karl Holzhauser (1944), Gottfriend Jager (1937) são artistas internacionais expressivos. No Brasil foi introduzida  através da irrequieta liderança de Valdemar Cordeiro (1925-1973), com a mostra intitulada “Arteônica/O uso criativo dos meios eletrônicos em arte,” realizada em São Paulo em 1972.
Daniel Pellegrim, nasceu em Marialva no Paraná, em 1975 e veio para Mato Grosso em 1986. Começa a trabalhar com arte-computador a partir de 2000. Esta série “InVersões”, são exemplos de suas incursões pelo campo da digigrafia, técnica de impressão a partir das novas tecnologias da informação, e, foram realizadas em Cuiabá, Brasília e Chapada dos Guimarães. Aliás, Daniel é mesmo o primeiro a usar tais tecnologias em Mato Grosso.
Em suas computers graphics ou digigráficas, Daniel transita por formas construtivas, algo caleidoscópico, com a tensão de pálpebras semi-fechadas. Entretanto, a rigidez geométrica é “quebrada”, ou melhor, sensibilizada pelo desfoque informal ou sensível da linha. Vale.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

She

Assimetria dos lados